/ Notícias

Destaques do ASCO 2021, por Dr. Eduardo Romero

11 de junho de 2021 – O ASCO 2021 Annual Meeting é o maior congresso de oncologia do mundo e o mais aguardado por quem atua nessa área, já que todos os anos apresenta diversos estudos que mudam a prática clínica. Em 2021, devido a pandemia, pelo segundo ano consecutivo o evento foi realizado 100% online. A cada ano são inúmeros os estudos que podem transformar a nossa prática ou surgem como opção de mudança.

Abaixo destaco alguns destaques da ASCO 2021:

Mama: estudo de adjuvância com inibidores de PARP em paciente com mutação de BRCA1 e BRCA2. Houve aumento de sobrevida livre de doença significativa com o uso de olaparibe. Aguardamos os dados de sobrevida global.

Próstata: tratamento que demonstrou aumento de sobrevida global com a terapia LU-PSMA 617 em pacientes com câncer de próstata resistentes a castração PSMA positivos submetidos a tratamentos prévios com antiandrogênicos de nova geração e taxanos. Esse estudo já muda a prática clínica devido comprovar aumento de sobrevida global.

Cabeça e pescoço: uso de imunoterapia associado a quimioterapia padrão em primeira linha de carcinoma de nasofaringe recorrente/metastático. Apresentou aumento importante de sobrevida livre de progressão. Vale a pena aguardar dados de sobrevida global e qualidade de vida.

Rim: imunoterapia no tratamento adjuvante de câncer renal de células claras. Apresenta aumento de sobrevida livre de doença, mas ainda imaturo para analise de sobrevida global, mas com tendência a ser positivo.

Esses são apenas alguns exemplos de vários estudos apresentados que podem dar novos rumos a nossa prática clínica ou, se ainda não a alteram, abrem novas possibilidades no tratamento de diversos tipos de neoplasias.

Por isso, reforçamos sempre a importância da pesquisa clínica. Ela realmente salva vidas! E nada como um congresso desse porte para nos incentivar cada vez mais a fazer pesquisa.

Diversos centros brasileiros e pesquisadores do nosso país participaram desses e outros estudos apresentados na ASCO, o que nos enche de orgulho e incentivo para continuarmos na luta para facilitar a prática de pesquisa em nosso país. Quem mais ganha com isso são os pacientes.