/ Notícias

Cura doa para pesquisa sobre câncer de mama

2 de abril de 2020 –O Instituto Projeto Cura doou para o LACOG (Latin American Cooperative Oncology Group) o valor de 20 mil reais, que apoiará o início das atividades da terceira fase do Estudo NeoSamba, cujo objetivo é analisar a sequência da medicação usada atualmente no tratamento do câncer de mama HER2 negativo, de forma a impedir a recidiva na paciente.

A doação só foi possível graças ao empenho de médicos oncologistas e profissionais de Saúde, que, por meio de suas redes sociais, incentivaram as doações para a pesquisa. A vencedora da ação, desenvolvida dentro da  campanha “A Cura do Câncer está em nossas mãos”, foi a diretora clínica do IBCC Oncologia (Instituto Brasileiro de Controle do Câncer), oncologista Lilian Arruda.

Segundo a médica, apenas 2% das pesquisas realizadas no mundo contam com a participação do Brasil. Lilian ressalta a importância de que sejam realizadas mais pesquisas no país. “Somos a nona economia do mundo, mas ficamos em 24º lugar na realização de pesquisas clínicas”, lamenta.

Pesquisa NeoSamba

A fase 3 da pesquisa NeoSamba será realizada em 12 centros oncológicos, distribuídos em 8 estados brasileiros, com pacientes do SUS. O investigador principal do estudo é o oncologista José Bines. Conforme o médico, “há muito trabalho a ser feito no diagnóstico, tratamento e pesquisa para melhorarmos os resultados do câncer de mama no país”.

A fase 2 do ensaio clínico, conduzido pelo INCA (Instituto Nacional do Câncer), investigou 118 pacientes. Na oportunidade, foi avaliado se a mudança na ordem dos medicamentos da classe das antraciclinas e taxano traria diferença na sobrevida das mulheres. O estudo indicou que tratá-las primeiro com taxano e depois com antraciclinas, e não o contrário, como era o padrão anterior, poderia trazer mais ganhos significativos de sobrevida livre de progressão e, principalmente, de sobrevida global.

A fase 3 da pesquisa, que é um estudo científico confirmatório, ampliará o universo de pacientes pesquisadas. “Os resultados desta análise podem redefinir o melhor tratamento de quimioterapia neoadjuvante (realizada antes da cirurgia) para mulheres com câncer de mama localmente
avançado. A conclusão pode ter impacto global imediato no cuidado de mulheres com câncer de mama”, conclui o médico.

De acordo com dados do INCA para o triênio 2020-2023, o Brasil terá 600 mil novos casos de câncer por ano. O câncer de mama é o mais comum entre as mulheres com uma previsão de 66 mil novos casos anuais. Ele representa quase 1/3 de todos os tumores nas mulheres e esse número é maior do que a soma dos 3 tumores seguintes: intestino, colo de útero e pulmão.

Padrinhos e madrinhas

Participaram da campanha do Cura os médicos e profissionais da saúde: Heloísa Rezende, Susana Ramalho, Tomás Reinert, Alessandra Morelle, Eduardo Romero, Flávia dos Santos, Gilberto Amorim, Gustavo Werutsky, José Bines, Monique Bionotto e Vivian Antunes.